fbpx
violência-pecado-sexual

A Violência do Pecado Sexual

Artigos
Nenhum comentário

Você sabe porque a Bíblia diz que a imoralidade sexual é pecado contra o próprio corpo de quem a comete?

“Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? E eu, porventura, tomaria os membros de Cristo e os faria membros de meretriz? Absolutamente, não. Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne. Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele. Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” (1 Coríntios 6:15-20)

Antes de analisar o texto espiritualmente, deixe-me falar algumas coisas interessantes, que corroboram ser a imoralidade sexual nociva ao corpo, sob a ótica da ciência.

O versículo 18 mostra que o pecado sexual é um tipo de ataque ao próprio corpo, por ser uma profanação ao Santuário de Deus, habitação do Espírito Santo. Disso, é provável que você já saiba. Mas vamos ler, de novo:

“Fuja da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que uma pessoa comete estão fora do corpo, mas quem pecar sexualmente, pecará contra seu próprio corpo. ”

O que você pode não saber é que o comportamento sexual ilícito ser contra o próprio corpo, assim como no vício em cigarro, não constitui só violência espiritual, mas também um grande mal físico. Isso mesmo. Assim como há milhões com seus pulmões doentes por fumar, há outros tantos com seus cérebros literalmente doentes, por se entregarem a tais práticas.

Algo extremamente nocivo ocorre, quando uma pessoa se entrega à relações sexuais ilícitas ou atos imorais. E a ciência já confirma isso. Imoralidade danifica o cérebro.

Pode ser sexo fora do casamento, adultério, vício em pornografia, masturbação, pegação, amasso ou qualquer ato imoral. Não importa, tais atos, cometidos repetidamente, modificam o funcionamento do cérebro, que passa a adotar um tipo de consciência amortecida, que acaba entorpecendo a culpa e a convicção de que o que se cometeu é errado. Daí, vêm aquele “modo automático”, quando a pessoa continua fazendo o que sabe estar errado, sem sentir-se culpada como deveria (o que a faria lutar para deixar a prática). Entende a dificuldade de quem se enredou por esses caminho, de ser livre? Não são só cadeias espirituais do pecado e de demônios. São também sentimentais e cerebrais.

Falando de pornografia, por exemplo, são muitas as reações que os cientistas identificam no cérebro de quem mantém a prática de ter contato com esses materiais. Quando alguém abre um site e assiste um vídeo pornográfico, reações cerebrais, envolvendo hormônios importantes, como a ocitocina e a vasopressina, acontecem.

Chamado por muitos de hormônio do amor, a ocitocina é liberada quando abraçamos ou beijamos um ente querido. Também tem papel na interação social e na reprodução sexual, atuando, portanto, na empatia, na generosidade, nos vínculos humanos afetivos, na relação com o sexo oposto e até no orgasmo.

A vasopressina, por sua vez, é um hormônio encontrado na maioria dos mamíferos, que também é usado como remédio. Sabe por quê? Porque ela entorpece a dor.

Percebe o que acontece no cérebro de quem assiste pornografia ou entrega-se a qualquer impureza sexual? A mistura desses dois hormônios é um verdadeiro ataque ao próprio corpo. O que acontece, tentando explicar de forma simples, é que os hormônios de ligação da ocitocina e vasopressina formam um tipo de reprogramação cerebral, fazendo com que o prazer esteja ligado com aquela prática errada, ao mesmo tempo que a consciência passa a ficar dormente, de modo que não se perceba mais o poço sem fundo em que não se para de cair. O cérebro fica literalmente preso numa jaula que ele mesmo criou, por conta da exposição aos materiais pornográficos ou a qualquer tipo de vício de imoralidade sexual.

Desta forma, uma combinação de hormônios, que deveria servir para aproximar pessoas queridas e ajudar no bem estar mental, acaba, por conta da ação do pecado no ser humano caído, entrando em ação para confundir e aprisionar a mente.

Veja o que o Dr. Doug Weiss, especializado em ajudar pessoas presas à pornografia, diz: “Quando você tem uma experiência sexual, seu cérebro produz esses opiáceos quatro vezes mais fortes que a morfina. Um estrondo atinge seu cérebro e ele se ilumina como uma árvore de Natal. Esta é a maior recompensa química que seu cérebro recebe por qualquer coisa. É por isso que muitos caras se metem em problemas, mesmo no ministério. Eles não sabem que seu cérebro está com defeito.”

Vale fazer uma observação aqui: apesar do doutor ter citado um exemplo com homens. Esse mal está alastrado por todos. Homens e mulheres têm sido tragados por esse abismo sem fundo todos os dias.

Voltando à ciência, quando o cérebro é danificado desse jeito, o pecado sexual já cobrou o seu terrível preço. A pessoa sabe que o que está fazendo é errado e vergonhoso, por isso, mantém em segredo, mas não consegue parar, pois toda vez que faz, o cérebro a engana, com as reações que deveria ter para situações boas, com pessoas amadas. É um ciclo interminável. Um poço sem fundo. Isso para falar só da parte física. Se levarmos em conta o espiritual, então, tudo fica pior. Por isso, sem Cristo, é impossível ser livre.

Quem comete pecado ou imoralidade sexual, seja qual for, acaba tendo adormecida a área do cérebro responsável por apontar que o que se está fazendo é errado. No início, isso é leve. Mas, conforme se avança nas práticas, a pessoa vai se tornando insensível e essa função do cérebro para de fazer seu papel. A consciência de que o comportamento está errado não vai embora, mas a culpa pelo que se fez incomoda cada vez menos.

Pensa que é só isso? Não! Não acabaram os problemas físicos do ataque brutal que é a imoralidade sexual contra o próprio corpo de quem a comete. Aliás, eu não pretendo, nesse texto, falar de todos. Pois até disfunção erétil e frigidez os vícios sexuais podem causar. Mas há outra coisa que desejo abordar.

Quando a dinâmica cerebral citada é ativada e continua se desenvolvendo, a capacidade de sentir prazer sexual é severamente prejudicada. São inúmeros os casos que atendi, nesses tantos anos de serviço pastoral, de pessoas que passaram por isso. Alguns, se desinteressam de relacionamentos saudáveis, outros veem seus casamentos caírem em uma monotonia sem fim, e há até os que para sentirem prazer, precisam de drogas, pornografia ou adesão a práticas sexuais abomináveis, como sugerir trocas de casais. As vezes, o cônjuge está na cama, pronto para uma relação sexual saudável e abençoada por Deus, mais o marido ou a mulher prefere masturbar-se assistindo pornografia. Isso ocorre porque o cérebro foi atacado por ele mesmo e faz a pessoa acreditar que o prazer nesse ato é maior do que a relação sexual matrimonial e real. Um absurdo, eu sei. Mas provavelmente angustiante para quem vive.

Percebeu como o pecado sexual é violento? Ele agride o próprio corpo de quem o comete. É como se ele se tornasse um ídolo vergonhoso, que ao mesmo tempo que exige cada vez mais da pessoa, também requer mais esforço e energia para ser mantido em segredo. Uma prisão terrível.

Já entrando na área espiritual, posso afirmar que o pecado sexual se torna um tipo de deus, a quem a pessoa recorre para ter prazer ou esquecer-se dos problemas. É um vício maligno, tanto físico quanto espiritual. Como em bebida alcoólica, por exemplo. Se há dor, vai-se ao vício para esquecer. Se algo bom acontece, vai-se ao vício para comemorar.

Deus não é um tirano que não quer que suas criaturas tenham prazer e aproveitem a vida. Quando Ele diz para não fazermos algo, é porque aquilo fere Sua santidade e também nos prejudica. Ele criou o sexo, o prazer e a dinâmica cerebral que citei, mas para serem vividos exclusivamente no casamento, com amor e cumplicidade. Qualquer coisa fora disso, é pecado sexual e, além de violência contra o próprio cérebro, é pecado contra o próprio corpo, que foi criado para ser o Santuário do Espírito Santo. Portanto, entregar-se a esses pecados é desprezar o preço de Sangue, que foi pago por Jesus. É profanar o templo, aonde Ele enviou Seu Espírito para habitar.

Como vemos no final da passagem bíblica citada no início, nossos corpos, assim como tudo na criação, foram feitos para glorificar a Deus. Sei que há muitos cristãos presos nessas práticas. Em Nome de Jesus, não espere mais. Mesmo contra o grito desesperado do seu cérebro e sua carne, vá ao Senhor e peça ajuda para parar com isso agora mesmo. Ele é poderoso para lhe purificar e curar sua mente, assim como limpar seus pecados, pelo precioso Sangue de Jesus Cristo.

Se você se identificou com esse problema ou conhece alguém que está assim e precisa de ajuda, deixarei o link de alguns artigos que escrevi, no intuito de ajudar pessoas a confiarem em Cristo e serem libertas dessa situação tão terrível e pecaminosa.

Com amor, nAquele que sabia o quanto éramos maus e pecadores, quando nos chamou com o Evangelho,

Pr. Raphael Melo

Já conhece meus livros??? bit.ly/2olLWqA

Artigos citados no texto:

Contaminações Sexuais: rmevangelho.com.br/contaminacoes-sexuais/

A Lascívia e o Pecado Sexual: rmevangelho.com.br/lascivia-e-o-pecado-sexual/

Como Deixar o Pecado Sexual: rmevangelho.com.br/como-deixar-o-pecado-sexual/

(Visited 140 times, 1 visits today)

Comentários do Facebook

Post anterior
Tesouros Feitos de Amor
Próximo post
Que Voz Você Quer Ouvir?

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu