fbpx
Perseguição de Cristãos

Perseguição de Cristãos

Artigos
1 Comentário

Ser um cristão na igreja do primeiro século, era uma experiência única e completamente sobrenatural.

As visões e revelações eram freqüentes, Jesus aparecia constantemente à vista de todos e o contato com os anjos era tão comum que em Hb 13:2: “Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber alguns acolheram anjos.”, os cristãos foram aconselhados a ter cuidado ao tratar desconhecidos, pois poderiam estar lidando com um anjo. Deus estava muito perto da igreja e isto fez com que eles suportassem as perseguições e continuassem crescendo.

Se olharmos para a Palavra de Deus, veremos que suas páginas são claras em dizer que no tempo final, haverá um grande mover sobrenatural na igreja, junto com uma perseguição jamais vista na terra. Isso acontecia com a igreja de Atos, era tremendamente movida no sobrenatural, mas também terrivelmente perseguida. Paulo nos mostra em Atos 12:22: “fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé, dizendo: “É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus.”, que passaremos muitas tribulações para entrar no Reino de Deus. A igreja primitiva era grata ao Senhor pelas tribulações, quanto maior ela era, mais autoridade e mover sobrenatural Deus derramava sobre eles. A igreja entendia que as tribulações a preparava para servir melhor ao Senhor.

A opressão dos religiosos judeus era sufocante, eles faziam coisas inimagináveis para perseguir a igreja, usavam todos os meios para calar a voz daquela crença que nascia e desafiava seu domínio político-religioso e chegavam a contratar falsas testemunhas para isso, a fim de entregarem os crentes aos romanos. Por outro lado, a forma com que a igreja servia e amava à Jesus, colocando-o acima de tudo, fazia com que os romanos considerassem isto uma afronta ao imperador. Com isso, os romanos iniciaram uma cruel perseguição contra a igreja.

Mesmo assim, todos os que se tornavam crentes, adquiriam uma coragem e determinação completamente sem precedentes no mundo. A história das civilizações nunca viu pessoas com tanta disposição para sofrer horrores pela sua fé. Tinham o seguir e honrar à Jesus como algo tão valioso, que, sem hesitar, davam suas vidas por isso. Por aproximadamente e séculos, crer em Jesus significava colocar a cabeça a premio todos os dias, exatamente como o próprio Senhor Jesus disse em Mateus 10:16-22: “Eu os estou enviando como ovelhas entre lobos. Portanto, sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas. Tenham cuidado, pois os homens os entregarão aos tribunais e os açoitarão nas sinagogas deles. Por minha causa vocês serão levados à presença de governadores e reis como testemunhas a eles e aos gentios. Mas quando os prenderem, não se preocupem quanto ao que dizer, ou como dizer. Naquela hora lhes será dado o que dizer, pois não serão vocês que estarão falando, mas o Espírito do Pai de vocês falará por intermédio de vocês. O irmão entregará à morte o seu irmão, e o pai o seu filho; filhos se rebelarão contra seus pais e os matarão. Todos odiarão vocês por minha causa, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.”.

Os perseguidores espalharam que nas reuniões de ceia aconteciam mortes de crianças e orgias, o boato de que os cristãos eram canibais persistiu por muitos anos, por isso os romanos os entregavam aos leões. Todo e qualquer problema no império passava a ser culpa dos cristãos. Nero matou crentes em cruzes, ensopados com óleo e queimados, em uma fogueira para servir de iluminação publica nas ruas, pendurados em árvores baixas, para que ursos os devorassem aos poucos, e de muitas outras formas cruéis.

Mesmo com tudo isso, para espanto dos romanos, eles constataram que podia vencer qualquer exército, menos aquele povo, pois quanto mais eram perseguidos, mais cresciam e se multiplicavam. Assim como Estevão, muitos outros morreram parecendo não estar sentindo nada, fazendo com que muitos torturadores e carrascos se convertessem. Nunca algo assim tinha acontecido no mundo, uma coisa que desafiava toda a lógica e explicação humana.

Foram três séculos de perseguição, propriedades de cristãos confiscadas, bíblias proibidas e queimadas, direitos civis revogados, escravização dos crentes, permissão para a população torturar, violentar e matar os cristãos como quisessem. Porém, mesmo assim, a igreja só crescia.

Definitivamente, não havia falsas conversões, como temos hoje, ninguém se sujeitaria a essas coisas por uma falsidade. Não havia competições ferrenhas pela liderança como hoje, pois os lideres eram os alvos principais da perseguição. Vamos ler 2 textos da bíblia para ter uma boa idéia disto que estamos falando e de como nosso cristianismo de hoje está corrompido. 2 Timóteo 3:12: “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” e Mateus 5:10-12: “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus. Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.”

A perseguição não permite fachadas enganosas como temos hoje no corpo de Cristo. Na perseguição era evidenciado que a Verdade do evangelho é maior do que nossa própria vida. Muitos dos líderes da igreja de hoje, deveriam meditar na lista de martírios a seguir, a fim de provarem a si mesmos, descobrindo se tem a mesma fé dos seus antepassados líderes da igreja. Vejamos o que John Fox escreveu no livro dos mártires.

Tiago, irmão de João, foi decapitado no ano 36; Tomé foi morto com uma flecha na Índia; Simão, irmão de Tiago e Judas, foi crucificado no Egito. Simão, o zelote, foi crucificado na Bretanha; Marcos foi arrastado com cordas, tendo suas juntas e articulações arrancadas antes de ser queimado; Bartolomeu foi surrado com paus, crucificado e decapitado na Armênia; André foi crucificado em Sebastópolis; Mateus foi morto com uma lança no Egito; Filipe foi crucificado e apedrejado na Frígia; Tiago, irmão de Jesus, foi jogado de uma sacada do templo, sendo apedrejado ao orar agonizando caído; Pedro foi crucificado de cabeça para baixo em Roma; Paulo foi decapitado em Roma; João foi preservado em vida, porém sofreu duras perseguições e torturas até o fim de seus dias. Estes são só exemplos de alguns poucos líderes. Milhões e milhões de cristãos foram mortos neste período, muitos deles, sepultados até hoje nas catacumbas de Roma.

Enfim, tudo isso comprovou que a igreja não podia ser derrotada. Salmo 116:15: “O Senhor vê com pesar a morte de seus fiéis.”; Temos de ouvir o seguinte conselho da Palavra de Deus: Hebreus 10:32-36: “Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados, quando suportaram muita luta e muito sofrimento. Algumas vezes vocês foram expostos a insultos e tribulações; em outras ocasiões fizeram-se solidários com os que assim foram tratados. Vocês se compadeceram dos que estavam na prisão e aceitaram alegremente o confisco dos próprios bens, pois sabiam que possuíam bens superiores e permanentes. Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm; ela será ricamente recompensada. Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que ele prometeu; pois em breve, muito em breve Aquele que vem virá, e não demorará. Mas o meu justo viverá pela fé. E, se retroceder, não me agradarei dele. Nós, porém, não somos dos que retrocedem e são destruídos, mas dos que crêem e são salvos.”

Hoje, m muitos lugares do mundo, os crentes estão sob grande perseguição, até mesmo dirigidas por governos. Ao mesmo tempo, nos últimos dez anos, as maiores taxas de crescimento do cristianismo está exatamente aonde estão estas piores perseguições. O que isso quer dizer?

Vendo este caminho da igreja pela história, entendemos que a perseguição é o “normal” para o que tem uma fé verdadeira. A Fé cristã sempre foi uma afronta aos que vivem sob o padrão do mundo (babilônia) e as que se dizem crentes, porém estão dentro da babilônia. Temos de nos preocupar se não estivermos sendo perseguidos, isso pode ser um sinal de que não estamos servindo a Deus e incomodando o mundo como deveríamos, não sendo uma ameaça para o reino das trevas. Um povo apostólico serve a Deus e deixa a sua marca no mundo, somos chamados para mostrar a todos o que significa, verdadeiramente o tão banalizado “jargão”, “Dar a vida para Jesus”

Deus abençoe todos,  com amor,

Raphael Melo

Comentários do Facebook

Post anterior
Seguidor de Jesus ou Mais um na Multidão?
Próximo post
Dedicação a Jesus

Posts Relacionados

1 Comentário. Deixe novo

  • Verdade. As igrejas hoje não buscam fazer a vontade do Senhor. Estão cada vez mais longe de Cristo.
    Buscam coisas, riquezas, fama e sei lá mais o quê. É triste, mas é a realidade.
    A palavra de Deus diz: Que o amor de muitos se esfriaria.
    Belo artigo! Que Deus continue abençoando o ministério de vcs!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu